Velas e rosas homenageiam Mandela em sua casa em Soweto

Muitas velas e rosas foram colocadas nesta sexta-feira (6) em homenagem ao ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, que morreu ontem aos 95 anos de idade, naquela que foi a casa do líder no antigo gueto negro de Soweto, em Johanesburgo.

Um idoso acende as velas constantemente e muitas pessoas, em sua maioria jovens, prestam homenagens ao ícone da luta contra o regime racista e posam para fotos em frente à sua antiga casa, na rua Vilakazi, informou hoje a agência sul-africana “Sapa”.

A rua de Soweto, centro da resistência contra o “apartheid” e onde Mandela viveu durante décadas, teve o trânsito interditado. Os presentes dançavam e cantavam canções de luta para honrar a vida de Mandela. Muitos deles levavam camisas e os rostos pintados com as cores do Congresso Nacional Africano (CNA), que foi liderado por Mandela.

Lesedi Motloung, de 19 anos e que vive no bairro, se afastou da multidão que cantava em homenagem ao ex-mandatário. “Queria um momento de silêncio. Estou muito triste. Madiba foi o herói dos jovens da África do Sul”, lamentou.

Veículos da imprensa nacional e internacional também se concentraram em frente à casa. Em língua zulu, um grupo cantava: “É o soldado de Umkhonto e não há ninguém como ele”

Naledi Amos, de 12 anos e de Randburg, na região norte da cidade, esteve na residência de Houghton, o bairro de Johanesburgo onde Mandela morreu ontem em companhia de sua família, para homenagear o ex-presidente sul-africano. “Ele lutou pela nossa liberdade e agora vamos à escola e temos uma educação igualitária e recursos, não como era no apartheid”, disse Amos, que conheceu a história de Mandela por seus pais terem lhe contado.

Fonte: Rede Brasil Atual