Três anos de um novo processo de construção da Democracia

Neste 3 de dezembro, o ATENS Sindicato Nacional chega ao seu terceiro ano de existência com energia revigorada e marcado por um processo histórico de construção em que os profissionais Técnicos de Nível Superior das Instituições Federais de Ensino Superior o ergueram, enfrentando dificuldades inerentes à realidade que os cercava.
Cansados de integrar uma lógica de representação sindical em que, durante vários anos, mesmo questionada quanto à sua legitimidade jurídica, era consensual quanto à sua funcionalidade, os TNS decidiram pelo enfrentamento de desafios e pautaram novos rumos à luta política e sindical.

Hoje, com o Movimento da categoria dividido entre uma proposta que vislumbra um novo tipo de organização sindical, participativa, e uma organização arcaica, que tolhe a liberdade de sua base e tenta impor uma lógica em que a doutrinação política se sobrepõe à luta sindical, o ATENS SN reafirma o compromisso de encampar as reivindicações da ampla maioria da categoria como um dos pilares essenciais da função de uma entidade sindical.
O ATENS SN enfrenta o desafio de consolidar e ampliar a unidade alcançada e se desvencilhar de uma lógica organizativa anacrônica e impositiva, incompatível com a pluralidade e a diversificação da base que representa. Não há como fugir do debate, posto que uma entidade que pense em lutar pelos direitos da categoria precisa do seu apoio e sua representatividade.

A decisão da atual gestão, ousada e firme, foi a de romper com essa estrutura e buscar novos rumos para o Movimento dos TNS. Ousamos melhorar a estrutura do Sindicato Nacional, rompendo definitivamente com uma lógica distorcida de que a entidade só serve como “instrumento de luta política”, quando na verdade se fragiliza nessa mesma luta ao se isolar da sociedade e de manter um discurso e uma ação retrógrada, vazia e ultrapassada. O ATENS SN hoje, com a gestão democrática e plural, tem buscado ampliar sua comunicação e seu relacionamento com o movimento sindical da sociedade brasileira.

É esse modelo que defendemos e que assusta os defensores da nostalgia. Um Sindicato que represente, de fato, os interesses dos TNS, que tenha capacidade política para se relacionar com os sujeitos sociais sem a necessidade de se impor de forma truculenta e ríspida. Uma entidade que abandone a cor cinzenta de um sindicalismo derrotado pela história e adote o colorido da pluralidade, que lhe dará força para conduzir a luta política com sucesso.

A encruzilhada histórica do ATENS SN, nos seus três anos de atuação, revela que a categoria e os filiados precisam pautar o futuro da entidade. A atual gestão, que abraçou a causa de um Sindicato soberano, não tem nenhum receio em reafirmar o compromisso em estabelecer os instrumentos e mecanismos necessários para consolidar uma entidade que lute pelo interesse da categoria, que participe da luta geral da classe trabalhadora e que preste serviço de qualidade aos seus associados.

Os desafios estão postos. A gestão aceitou o desafio político e organizacional. Enfrenta o desafio político de buscar uma nova organização que possibilite a construção de um Movimento efetivamente plural e democrático. Enfrentou, enfrenta e enfrentará o desafio de questionar as velhas práticas sindicais de ataques pessoais e buscará a construção de um ambiente de discussão salutar e respeitosa entre os que divergem. Nesses três anos, o Novo Movimento dos TNS tem dado outro rosto ao ATENS SN. Aberto, democrático, plural e capaz de fazer interlocução com qualquer corrente ou pessoa que tenha a capacidade política de aceitar o contraditório como regra básica de convivência política.

Ousaremos lutar para que o ATENS Sindicato Nacional torne-se, cada vez mais, um agente político respeitável e presente em nossa sociedade!