Profissionais Técnicos de Nível Superior das IFES de todo país debatem perspectivas da luta sindical no segundo dia de Congresso

À luz da conjuntura nacional de crise política e de ameaças à educação e ao serviço público, delegados e observadores das Seções Sindicais e Coordenações de todas as regiões do país, reunidos na manhã desta quinta-feira, 15, em Belo Horizonte, debateram os desafios e conquistas do Sindicato Nacional no segundo dia do I Congresso do ATENS.

Com a coordenação da presidente da entidade, Rosário de Oliveira, e a assessora jurídica do Sindicato, Andreia Munemassa, os debates foram abertos abertos com a leitura e aprovação do edital de convocação, da programação e do regimento interno do Congresso.

Com o tema “ATENS SN: Histórico, Evolução e Perspectivas”, o vice-presidente do ATENS Sindicato Nacional, Paulo Menezes, fez a exposição de abertura do segundo dia de Congresso.

O dirigente historiou a trajetória de criação do ATENS SN, a necessidade do registro sindical, importância da filiação à Central Pública e as perspectivas para os profissionais Técnicos de Nível Superior das Instituições Federais e Ensino.

Paulo Menezes enfatizou a importância da publicação do pedido de registro Sindical do ATENS Sindicato Nacional no Diário Oficial da União, feita pelo Ministério do Trabalho em 5 de setembro deste ano de 2016. Para ele, a publicação representa mais uma etapa no processo de fortalecimento da entidade enquanto representação sindical.

A conquista definitiva do registro sindical é uma das bandeiras mais importantes para o ATENS, que confere legitimidade ao sindicato na defesa dos interesses da categoria de profissionais, tanto em assuntos específicos como em lutas mais gerais, a exemplo do trabalho permanente para derrubar projetos que ameaçam direitos e todo o setor público e que tramitam no Congresso Nacional, como é a Reforma da Previdência.

Ao tratar das perspectivas da luta sindical do ATENS SN, o dirigente falou da necessária filiação do ATENS Sindicato Nacional à Central do Servidor Público, a Pública. A adesão foi amplamente debatida e aprovada com a expressiva maioria de 94% dos votantes, por TNS de todas as regiões do país através de votação eletrônica.

Para Menezes, a filiação à uma Central de representação específica dos servidores e empregados públicos deve fortalecer a luta da categoria não apenas por melhores condições de trabalho, remuneração e de atuação profissional, mas na luta sindical geral e na defesa da Educação Pública e das Instituições Federais de Ensino Superior.

Menezes fez uma exposição da trajetória de discussões das diretrizes para um novo plano de carreira dos profissionais ocupantes de cargos de nível superior nas IFES. Para o dirigente, o diferencial da nova carreira é romper paradigmas que há muito travam o desenvolvimento profissional e dificultam a conquista de uma tabela salarial digna.

Como a afirmativa de que “temos como característica a capacidade do convencimento através do diálogo”, Menezes lembrou os colegas presentes sobre a importância de ampliar a representatividade do ATENS Sindicato Nacional através do crescimento do número de filiados, de seções e de coordenações locais em nas Instituições Federais de Ensino Superior de diversas regiões do país.

A manhã de debates foi encerrada com a discussão das diretrizes prioritárias do ATENS SN para o biênio 2017/2018. Todos os delegados e observadores puderam apresentar propostas políticas e administrativas.

Após a leitura e sistematização das proposituras, a plenária discutiu e votou as linhas de trabalho do Sindicato para os próximos dois anos.