fbpx

Com Bolsonaro, MEC terá critério ideológico para conceder bolsas de estudo

“O critério ideológico será eliminatório. Se não passar por este, não avançará para os seguintes”, diz um trecho da nota publicada pelo jornal O Globo deste domingo (6).

Jornal  247

Na primeira semana do governo Bolsonaro foram dados sinais claros de que o país caminha para o fascismo. Na campanha em que integrantes do governo chamam de “despetização” estão sendo estudado critérios de perseguição ideológica em diversos setores.

De acordo com nota publicada no jornal O Globo deste domingo (6), estão sendo estudados no Ministério da Educação novos critérios para se conceder bolsas de estudos para pós-graduação e doutorado no exterior. “O critério ideológico será eliminatório. Se não passar por este, não avançará para os seguintes”, diz um trecho da nota.

Apesar da informação ser um verdadeiro escândalo, o jornal informa sem grande alarde que também está em discussão a possibilidade de se interromper algumas bolsas já concedidas e com alunos em plena atividade usando o mesmo critério. “O problema é como fazer isso sem rasgar contratos”, aponta a nota.

Para a professora universitária e ex-reitora da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), a deputada federal Margarida Salomão (PT-MG), a medida demonstra que “o Brasil não é mais pra todos”

“É só pra quem reza a cartilha do governo eleito. Isso é unir o país? Não! Isso é perseguir, isso é punir a liberdade de expressão, isso é for de morte a democracia!”, disse ela em sua página no Twitter.

Leia também

Bolsonaro: “Brasil tem direitos em excesso. A ideia é aprofundar a reforma trabalhista”

Proposta de campanha inclui carteira de trabalho “verde e amarela” que, segundo especialistas, vai precarizar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *