fbpx

Brasil e Argentina cooperaram antes mesmo da Operação Condor

A Comissão Nacional da Verdade encontrou documentos que reforçam a suspeita de que os serviços de inteligência dos países do Cone Sul já cooperavam na luta contra a “subversão” antes mesmo da Operação Condor. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (9) no site oficial do órgão.

Novos documentos encontrados no Arquivo Nacional de Brasília indicam que países do Cone Sul cooperavam contra “subversão” antes do ínicio da Operação Condor.

Os arquivos descobertos indicam que o desaparecimento do francês Jean Henri Raya, do argentino Antonio Pregoni e do brasileiro Caiupy Alvez de Castro, no final de novembro de 1973, no Rio de Janeiro, pode estar relacionado ao sequestro de dois militantes brasileiros, Joaquim Pires Cerveira e João Batista Rita, em dezembro do mesmo ano, em Buenos Aires. Ambos foram vistos pela última vez em janeiro de 1974 no DOI-CODI carioca, na rua Barão de Mesquita.

Os documentos foram localizados no Arquivo Nacional de Brasília pelo grupo de trabalho Operação Condor e serão apresentados nesta sexta-feira (11), às 14h, em audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo. Organizado pela CNV e pela Comissão Estadual da Verdade Rubens Paiva de São Paulo, o evento contará com a presença do secretário executivo do Arquivo Nacional da Memória da Argentina, Carlos Lafforge, e da psicanalista Mabel Bernis Raya, viúva do francês Raya.

“É importante apresentar esse caso ao público brasileiro, pois ele ficou durante muitos anos esquecido, uma vez que, após a anistia, familiares de mortos e desaparecidos brasileiros haviam perdido o contato com a viúva de Raya, cuja família não pediu o reconhecimento de sua situação de desaparecido político no Brasil. Com a divulgação, espera-se que outras pessoas que possam ajudar a elucidar esses desaparecimentos contribuam com a Comissão”, afirma o secretário-executivo da CNV, André Saboia Martins.

Em um dos documentos encontrados, o agente do Centro de Informações do Exterior (CIEX) Conrado Avegno relata novidades recebidas de outro informante para o Ministério de Relações Exteriores. De acordo com o oficial, Joaquim Pires Cerveira, militar brasileiro cassado em 1964, banido do Brasil em 1970 e exilado na Argentina desde agosto de 1973, estabeleceu contato com Raya e Pregoni por intermédio da militante argentina de esquerda Alicia Erguren. O documento ainda informa que o ativista francês teria viajado ao Brasil em novembro de 1973 para uma ação em conjunto com o grupo de Cerveira.

Fonte: Opera Mundi

Leia também

“Os valores previstos ameaçam o funcionamento da ciência, tecnologia e inovação do país”, afirmam entidades

Publicado por: ANDIFES Entidades da comunidade científica brasileira enviaram, nessa sexta-feira (7), carta conjunta ao …